segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Poetinha apressado
Pula um muro como se fosse pular um serrado
Do nada insiste em morar sózinho
E ficar bem longe do seu amorzinho

Muda pensamentos de uma hora pra outra
Assim, nunca se mantém envelhecido
E do nada lhe dá a louca
E só vai comer no café pão amanhecido

Um comentário:

Tatiana F. disse...

não fique longe de seu amorzinho... se não ele chora.