terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão,
Enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar
Para mim

Queixo-me às rosas,
Mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas meus sonhos
Por fim

[Cartola, As Rosas não falam.]

4 comentários:

Tatiana F. disse...

Não gosto de conflitos internos.
Dessa vez é como se alguém estivesse nascendo em mim, e meu outro eu ficando fraco... fraco... desaparecendo, aos poucos.
Confesso, estou com medo. Mas quem é que nunca sentiu medo?


Tudo bem, não há problema pelo furto de fotos. rsrs

Tatiana F. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana F. disse...

Sabe, hoje aquela frase do Edward fez muito sentido pra mim ("Estamos quebrando todas as regras, mas eu vou pro inferno mesmo!")

Se eu continuar do jeito que estou, eu vou, então qual é a diferença?


Gostei da letra de música! Doce e simbolista.

And_Rodrigues disse...

Logico que as rosas falam,
tanto quanto seus espinhos machucam,
e seu perfume não deixa de exalar.

muito bom Rapha.
escrever melhor é uma questão de ponto de vista, ou da mãe que estiver olhando, rsrsr