sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Saudade essa que rasga meu peito, corta minha alma e me faz jorrar o sangue da distância.

Eu sempre tentei cuidar de você, mas quem sempre cuidou de alguem aqui foi você.

Não é que eu não queira te encontrar, nem muito menos medo do que poderá nos acontecer, meu unico medo é voltar aquilo tudo que tinhamos certo tempo atrás. Os pós e os contras.

Mas se você quiser isto pode acabar agora e te juro do fundo do meu coração que nunca mais irás me ver, nem amanhã e nem em teus pensamentos.


O amanhã, não se chama pra sempre.

2 comentários:

Tatiana F. disse...

Não me afastei, só saí porque não quero brigar com você.
E você não é o único chateado.

Porque não atende?
(eu escutei o palavrão, viu?! rs)

Tatiana F. disse...

Nós iamos acabar brigando sim.
Não reconhece mais minha voz?
Ou não me escutou?

Mas aquele número não é seu?